Viajo, logo existo!

Urubici | Viajar é preciso, passar frio também!

Preparados para um roteiro de muito frio?? Então vem, que vamos te dar muitas dicas para conhecer Urubici e passar frio em lugares lindos!

A previsão era de neve, por isso decidimos colocar as malas no carro e curtir as belezas da Serra Catarinense. Mas como eu disse, a previsão era de neve, logo, todo mundo teve a mesma ideia e ai que começam as dicas do post de hoje. Nosso passeio por Urubici e São Joaquim em Santa Catarina foi muito divertido mas você precisa saber de algumas coisas antes de se jogar na estrada.

Hospedagem

A temporada dessas cidades serranas é o inverno, sem dúvidas. Por esse motivo a dica número 1 é procurar e reservar com bastante antecedência sua hospedagem, assim poderá escolher a melhor opção avaliando conforto (procure por: aquecimento, café da manhã, manta térmica, lareiras), localização, avaliações de atendimento e valores de diária. Nós decidimos a viagem em uma segunda-feira e na terça fizemos as reservas porque a cidade estava apenas LOTADA. Ou seja, tivemos muita sorte por conseguir um lugar bacana, mas não tivemos mais de uma opção então era esse ou esse. Ficamos na Pousada do Coqueiro em Urubici, na verdade conseguimos quartos nos chalés que eles tem e que ficam mais ou menos 1,5km depois da pousada. Os chalés possuem dois andares, e ficamos no andar de cima, nosso chalé ainda não tinha aquecimento a gás então foi preciso ligar o ar quente, o chuveiro e até a manta térmica da cama para ver se esquentava o banheiro na hora do banho. Tirando isso, todo o resto é muito confortável, eles te oferecem muitos, mas muitos cobertores, além da manta térmica pra aquecer a cama e o chalé é uma graça, ideal para um casal. O café da manhã era simples mas ótimo, com muitas opções caseiras da tia simpática que é a dona da pousada (ela te prepara um queijo quente quentinho quando você chega <3 ).

Mais informações: http://www.pousadadocoqueiro.net

urubici

urubici

urubici

Pontos turísticos

Os pontos turísticos de Urubici e São Joaquim são realmente lindos, mas precisa se preparar para alguns detalhes. Vou falar de todos que nós conseguimos ir e deixar um site com mais informações sugestões de outros que não deu tempo de visitar.

Cachoeira do Avencal: Com 100 metros de queda livre, é frequentada por praticantes de rapel e no dia que visitamos tinha um pessoal que ia fazer o slackline entre uma rocha e outra na frente da cachoeira. O nome deriva da avenca, vegetação comum na região. É possível chegar de carro à parte de cima da cachoeira e a pé à parte de baixo, mas é preciso ter calçados apropriados e tomar cuidado com as pedras escorregadias, a rua por onde se chega de carro é estrada de chão e bem estreita em alguns pedaços, pede atenção dos motoristas e paciência.
Fica no Morro do Avencal, próximo às inscrições rupestres, na chegada a Urubici para quem vem de São Joaquim.

urubici

urubici

Serra do Corvo Branco: A lendária estrada que foi a ligação pioneira entre o litoral e a serra continua em atividade. A “garganta” de entrada (a estrada começa no meio de dois paredões de pedra, a 27 km do centro de Urubici) proporciona uma visão impressionante. Descer a serra até a cidade de Grão-Pará, como motorista ou passageiro, é uma emoção única, as curvas fechadas e a pequena largura da estrada remetem imediatamente ao tempo em que a estrada era conhecida como “a mais temível” de todo o Brasil. Mas exige muita prudência, é uma estrada perigosa e não recomenda-se freqüentar em dias de chuva. Nós fizemos a descida dela no último dia como caminho de volta para Joinville, não foi nossa melhor escolha porque da cidade de Grão-Pará até a BR-101 em Tubarão levamos 3 horas, sem internet, sem nada de paisagem, e passamos por pequenos vilarejos, talvez o melhor seja descer a serra e subir novamente para Urubici, ou só visita-la onde começa a descida, muitas pessoas vão até esse ponto mas não descem, agora a vista na descida é impressionante, de tirar o fôlego de tanta beleza!

urubici

urubici

urubici

Foto: Juliana Maul

Cascata Véu da Noiva: Com 62 metros de queda, a cascata se destaca entre as mais de 80 encontradas no município. Não há queda livre: a água desliza suavemente por grandes rochedos. Quando há maior vazão, a espuma branca faz o visual assemelhar-se ao de um grande véu de noiva – daí o nome pelo qual é conhecida. A cascata fica em propriedade particular e a entrada custa R$5,00 por pessoa, há no local um restaurante que também serve lanches e almoço. Na caminhada de 300 metros entre o estacionamento e a base da cascata é possível flagrar diversos pássaros da fauna local – curiós, sabiás, tico-ticos, pica-paus, gaturamos, capitães-do-mato -, em uma explosão de sons e cores. Uma trilha suspensa a 10 metros de altura, com 260 metros de comprimento, ligando as copas das árvores, permite a prática do arvorismo, modalidade que chegou recentemente ao país. A cascata fica no caminho para o morro da igreja.

urubici

urubici

urubici

Mirante da Serra Rio do Rastro: O mirante fica na cidade de Bom Jardim da Serra, é um lugar incrível e que venta muito! Acho que foi o ponto da viagem onde eu senti muito frio, mas muito frio mesmo! Tem lojas de conveniências e banheiros, compramos chocolate quente para ajudar! A vista é incrível, a serra com todo o seu esplendor faz você ficar longos minutos parado ali no frio só para admirar tamanha beleza, alguns tamanduás vem ao encontro dos turistas e fazem graça. Essa deu vontade de descer, mas tivemos que mudar nosso roteiro por não conseguir visitar o Morro da Igreja, então ficamos apenas no mirante.

thumb_IMG_8929_1024

IMG_8498

thumb_IMG_8957_1024

São Joaquim: A principal atividade econômica da cidade é a produção de maçã, mas o frio também leva muito turistas no inverno, por ser uma das cidades mais frias do Brasil! Infelizmente não tivemos a sorte de nevar, o tempo estava muito limpo, mas o frio estava la marcando presença. Na praça João Ribeiro a cidade coloca mangueiras jorrando água nas arvores, o frio congela e fica uma imagem linda. Tem vários cafés no centro, e até casa especializada em chocolate, isso é bom para quem precisa se aquecer.

thumb_IMG_8952_1024

thumb_IMG_8949_1024

Vinícola Villa Francioni: Ainda em São Joaquim fomos visitar a Villa Francioni, uma vinícola com muita história. Para marcar a visitação você pode fazer a reserva no site, custa R$40,00 e desse valor R$30,00 você ganha em desconto nas compras da loja. Tem dois tipos de degustação, uma é feita na sala Vip (mais recomendada) onde eles contam a historia de cada vinho servido, a sala é bem aconchegante com mesas, cadeiras, cestinhas com pão e taça de água. A outra desgutação é na loja, na minha opinião é mais bagunçado, porque ai mistura tudo e o menino que serve os vinhos quase que precisa berrar pra contar as histórias, então reserva na sala VIP. Antes da degustação de vinhos somos levados a conhecer a vinícola, a sua história e todo o processo de fabricação, é muito legal e vale a pena desvendar esses segredos, quem aprecia vinho vai adorar. Saldo: voltei com 3 garrafas 😀

IMG_4228

IMG_4276

IMG_4237

Cachoeira da Neve: É um ponto turístico “novo” em Urubici, fica dentro de uma propriedade privada e eles cobram R$5,00 por pessoa para entrar, a trilha por mata fechada pode ser feita em 20 minutos até chegar na cachoeira. O melhor horário é antes das 7:00 da manhã onde você consegue ver ela completamente congelada. Nós chegamos la depois das 9 e ai encontramos só a neve aos pés da cachoeira, mas ainda caia pedrinhas de gela la de cima <3 Tem uma mini trilha que permite você chegar por trás da cachoeira, é um pouco difícil mas o visual compensa.

frio

IMG_8535

Foto: Juliana Maul

Lugares para comer

Essa é a parte mais difícil, não tem muitas opções e todas ainda precisam de mais estrutura para receber muitos turistas ao mesmo tempo. Porém tem dois lugares que se destacaram e vale a pena falar aqui. O primeiro é o La Fondue Muller  onde você pode escolher pratos a la carte como massas, se deliciar com uma sequência de fondue ou até mesmo com um buffet de sopas delicioso. O segundo descobrimos por acaso mas fomos muito bem recebidos, é o Bodegão da Serra  que tem como prato típico a paçoca de pinhão, mas serve uma lasanha fantástica e em alguns dias tem comida japonesa. A média por casal sempre batia os 90,00 reais por refeição nos jantares, e R$58,00 o almoço. Os cafés também sai em média R$25,00 o casal.

IMG_4148

IMG_4285

viajar

É isso, foi um passeio incrível apesar do frio muito intenso e do pouco tempo. Mas 3 dias dá para se fazer quase tudo e em um tempo bem razoável, e deixa aquela vontade de voltar no coração. Espero que gostem, que se inspirem e que façam passeios lindos.

Fonte pontos turísticos: http://www.urubici.sc.gov.br
Fotos: Juliana Maul fotografia (algumas dela e algumas minhas, aquelas foscas de celular são minhas hahaha)
Pousada do Coqueiro: Site
Villa Francioni: Site

Beijos, Camila

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Deixe uma resposta